7 de março de 2007

Scoop - O Grande Furo
   (Scoop, 2006)


Scoop, a obra mais recente de Woody Allen, é um filme claramente despretensioso, cuja palavra que melhor o descreve é “agradável”. Não é particularmente engraçado, mas possui uma leveza desarmante, talvez pelo clima descontraído e com toques de magia e elementos sobrenaturais que compõe a história (que por vezes nos remetem a “Alice”, outra obra igualmente descompromissada do diretor), talvez pela atuação idealmente amena e estabanada de Scarlett Johansson, muito bem adequada aqui.
   Contudo, a melhor explicação para a sensação de familiaridade confortável que o filme transmite, provavelmente é a presença do próprio Woody, que retorna às telas após um pequeno recesso em seus últimos dois filmes, e está em ótima forma contracenando com Scarlett, mostrando que muitas de seus trejeitos antigos ainda conseguem entreter. As falas, piadas, formas de apresentação não mudaram – Woody ainda é aquele personagem neurótico e levemente hipocondríaco, mas agora em um cenário novo, cercado por uma platéia nova, o que parece ter lhe dado um novo fôlego, uma nova vivacidade. Muito já se foi comentado sobre a mudança de ares do diretor em seus últimos filmes, e vou apenas concordar aqui com o consenso geral de que esta trouxe apenas bons resultados no trabalho de Allen.
   Quanto à sinopse, Johansson é uma aspirante a jornalista de férias em Londres, que com a ajuda de um mágico interpretado por Allen, começa a investigar a ligação entre os crimes de um serial killer e o filho de um Lorde inglês (Hugh Jackman). O filme realmente se sustenta na relação paternal desenvolvida entre Johansson e Allen, que desde seu primeiro encontro, em um número de mágica recheado de piadas rasas, porém estranhamente encantadoras, parecem extremamente confortáveis um com o outro, e desenvolvem um bom ritmo, que amparara o filme. Uma narrativa com vários toques improváveis, mas que ainda assim consegue entreter.

2 comentários:

Bruno disse...

Pretendo assistir Scoop em breve. Gosto dos filmes do Woddy Allen, e gostei da parceria anterior dele com a Scarlett Johansson. E será um prazer rever o Woody interpretando mais um daqueles típicos personagens neuróticos que ele costuma fazer.

paula disse...

Eiiii... vc tem esse filme? Já fiquei louca pra ver!! Sse puder me mandar junto com aqueles que vai mandar por correio, agradeço :P

bjss